19 Outubro 2023 - 16:50

Com documentos em mãos, Ronaldo Lopes desmente oposição e fala de “herança maldita” recebida da gestão anterior

Roberta Feitosa - aquiacontece.com.br
Entrevista reveladora foi concedida nesta quinta, 19

O prefeito de Penedo, Ronaldo Lopes, concedeu uma entrevista ao Programa do João Lucas na Rádio Penedo FM (97,3 MHz e www.penedofm.com.br) na manhã desta quinta-feira, 19 de outubro, para falar sobre algumas ações e, principalmente, esclarecer algumas inverdades que, nos últimos dias, têm sido propagadas pelo ex-prefeito Marcius Beltrão.

Com documentos em mãos, Ronaldo apresentou aos ouvintes da emissora líder em audiência na região do Baixo São Francisco uma versão diferente do que tem sido dito pelo ex-gestor em entrevistas na rádio que comanda, principalmente depois de sua demissão da Secretaria de Estado da Educação.

Ronaldo Lopes começou por destacar a importância de abordar a política de maneira honesta e construtiva, ressaltando que é fundamental focar em propostas e no desenvolvimento da cidade em vez de recorrer a artifícios mentirosos. O prefeito lembrou a vitória nas eleições de 2020, que trouxe um "grito de liberdade" quando a população elegeu dois filhos da terra para governar a cidade. Essa escolha encerrou décadas de uma dobradinha que ocupou a prefeitura e ressaltou a forte ligação que ele e sua família têm com Penedo, onde nasceram e possuem muitos serviços prestados.

Sobre as mentiras ditas pelo ex-prefeito, que tem repetido muitas vezes que rompeu com Ronaldo Lopes porque ele não cumpriu acordos, Ronaldo ratificou que isso não procede.
“Deixamos que o ex-prefeito indicasse a pessoa para gerir as pastas da Educação, da Cultura e do SAAE, assim como ele pediu. Nosso intuito em atender esse pedido foi para que o mesmo pudesse contribuir com nossa administração, assim como eu contribuí com a dele nos 8 anos em que estive como vice-prefeito. No entanto, não poderia compactuar com irregularidades, e foi isso que o deixou revoltado”, explicou.

Ronaldo destacou que a relação entre ambos começou a desandar quando, logo ao assumir a gestão municipal, encontrou um contrato feito no apagar das luzes pelo ex-prefeito Marcius Beltrão e assinado por seu tio, que era secretário de Finanças, orçado em mais de R$ 16 milhões para dotar a zona urbana de Penedo com lâmpadas de LED e estranhou, optando pela rescisão.

“Quando rescindimos esse contrato, fui procurado pelo ex-prefeito, que não gostou do que fizemos. Eu expliquei que havia algo errado e que não poderia compactuar com isso. Ele não gostou e começou a se afastar, mas mesmo assim mantemos nossos compromissos. A prova de que estávamos corretos é o fato de termos iluminado toda Penedo, inclusive a zona rural, com lâmpadas de LED, gastando R$ 5 milhões, um valor três vezes menor ao que ele tinha firmado nesse contrato, nos últimos dias de seu mandato, como vocês podem ver nesse documento que disponibilizo para consulta de quem quer que seja”, acrescentou.

O prefeito também esclareceu a questão de um posto de saúde no bairro Raimundo Marinho, mostrando que o atraso na construção se deveu a ações inadequadas do ex-prefeito. Ele destacou que a verba foi liberada em dezembro de 2022, contradizendo a afirmação de que os recursos estavam disponíveis anteriormente. Agora, a obra está sendo licitada novamente para que possa ser concluída.

“O ex-prefeito chegou a gravar um vídeo na porta do posto de saúde dizendo que deixou dinheiro em conta para a obra. Mas isso é mais uma mentira deslavada. Deixo aqui também uma cópia do extrato disponibilizado pela Caixa mostrando que o dinheiro caiu na conta do município agora, já na atual gestão e não anteriormente, recurso esse, de fato, destinado pelo deputado federal Paulão (PT)”, complementou.

Veja o documento com a data da chegada do recurso:

 

Lopes destacou que o ex-prefeito agiu com muita irresponsabilidade e interesse eleitoreiro ao mandar iniciar a construção do posto de forma irregular. Isso porque, naquela época, não havia recurso, não havia contrato com empresa, não havia documento do terreno e muito menos liberação da vigilância sanitária. “Estamos licitando a obra para fazê-la toda de novo, da maneira correta. É preciso ter respeito com as pessoas. Fazer oposição é natural, mas se pegar em mentiras, com nível baixo, não cola. Apresente propostas, pois nossa campanha será dessa forma”, acrescentou.

Ronaldo Lopes enfatizou que sua administração não acabou com programas, mas sim com irregularidades e contratos questionáveis que não estavam beneficiando a cidade. Ele descreveu um programa de acompanhamento de pacientes crônicos que não estava cumprindo seu propósito, com custos elevados e participação de empresas estranhas ao município. A decisão de rescindir o contrato foi tomada com base em uma avaliação objetiva.

“Na gestão passada, uma empresa de Santa Catarina recebia 40 mil por mês da prefeitura de Penedo de um programa médico que não servia para nada. Contratamos um profissional de informática que fez um levantamento e concluiu que esse programa era totalmente desnecessário. Então nós fizemos a rescisão e demitimos um funcionário que morava aqui em um hotel e era muito bem remunerado, com salário de nível de secretário, fora os 40 mil mensais que recebia. E para surpresa, a prefeitura de Penedo fazia parte da empresa, com 3% das ações, enquanto um laranja de Coruripe tinha 97%”, revelou, destacando que os pacientes crônicos seguem recebendo atendimento e acompanhamento normalmente.

Veja documento:

Sobre o prédio da antiga SEMEP, o Ronaldo explicou que o ex-prefeito firmou um contrato com uma empresa de Coruripe, que havia paralisado a obra. Então foi preciso o município fazer um distrato, outra licitação, e que por isso houve todo esse atraso. “Essa empresa abandonou a obra, sendo mais uma herança maldita herdada da gestão anterior”, afirmou.

Sobre a Previdência Própria criada pelo ex-prefeito, contra a vontade dos servidores, Ronaldo salientou que o ex-gestor vendeu essa ideia como se fosse algo bom, mas logo ao assumir a prefeitura viu que a forma como foi feita era um “desastre” e teve que corrigir muita coisa.

“Tivemos que colocar R$ 3 milhões para equilibrar as contas da previdência, já que o ex-prefeito colocou na lei um desconto superior ao que era praticado. Hoje a previdência funciona bem e sem pendências”, destacou, lembrando que o município tinha 9 pendências no Cauc, que é uma espécie de cadastro de devedores, como o Serasa, e que, com muito trabalho, conseguiu limpar o nome do município, tornando-o apto a firmar convênios importantes.

Sobre o SAAE, o prefeito declarou que o ex-gestor faliu a autarquia ao usá-la única e exclusivamente como cabide de emprego e revelou que, no final de 2020, Marcius Beltrão teve que injetar R$ 600 mil dos cofres públicos para pagar despesas do SAAE, inclusive a folha de pessoal, que tinha servidores com salários que chegavam à casa dos R$ 20 mil. “Antes, a prefeitura pegava dinheiro do SAAE para pagar suas contas, mas nos últimos anos da gestão anterior foi ao contrário”, contou.

Ronaldo explicou ainda o processo que levou à concessão do SAAE, que teve sua manutenção inviabilizada por conta de sua situação financeira e devido ao marco regulatório do saneamento básico proposto pelo governo Bolsonaro. O prefeito lembrou que garantiu o salário dos servidores até a aposentadoria e que propôs a eles que permanecessem nos quadros do município, em outras secretarias. “Mas o sindicato fez uma proposta de PDV e nós acatamos e fomos o município que mais pagou, com servidor chegando a receber R$ 1 milhão. Quem quis continuar trabalhando, continuou”, afirmou.

O descontrole do ex-prefeito, segundo Ronaldo, é por ver que as coisas estão dando certo em Penedo, onde apenas em 3 anos de gestão foram feitas mais coisas do que nos outros 12 anos que o grupo da oposição administrou a cidade, despachando, inclusive, diversas vezes em uma quadra de tênis em Maceió, capital onde o ex-prefeito também frequentava uma faculdade de forma presencial.

“Penedo não pode mais ser administrada de Maceió. Penedo merece um prefeito que faz o que a gente faz, que anda na rua, que conversa com o povo, que olha nos olhos e não um que se esconde, que nem casa em Penedo tem”, enfatizou. “Recuperamos a credibilidade de Penedo. Em Brasília, conseguimos recursos com vários políticos, inclusive com alguns que não votamos, a exemplo do senador Rodrigo Cunha, que tem ajudado muito a Penedo, assim como os senadores Renan Calheiros e Fernando Farias também, por exemplo. Isso é fruto de um trabalho sério que a gente tem desempenhado em Penedo”, complementou.

O prefeito anunciou ainda que o asfaltamento do acesso ao povoado Tabuleiro dos Negros começa dentro de no máximo duas semanas e que algumas ruas da comunidade também serão calçadas. Ele falou ainda sobre outros assuntos. Clique no player e confira o áudio da entrevista na íntegra!
 

por Redação

Comentários comentar agora ❯