12 Novembro 2019 - 19:52

Governo de Sergipe prepara campanha contra assédio e importunação sexual

Para fortalecer a conscientização da população sobre o combate ao assédio e à importunação sexual a mulheres, o Governo de Sergipe, através da diretoria de Direitos Humanos da Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (DIDH/Seit), realiza campanha de orientação, prevenção e proteção durante o 36º Festival de Artes de São Cristóvão – FASC. Entre os dias 14 e 17 de novembro, a campanha ‘Todxs por Todas – FASC sem violência contra a mulher’ leva o Ônibus Lilás à Praça São Francisco, onde também serão distribuídos materiais informativos sobre prevenção e orientações para denúncia. A campanha tem a parceria da Prefeitura de São Cristóvão, da Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE) e da Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (Sejuc).

No Ônibus Lilás, serão disponibilizados, gratuitamente, atendimento jurídico, psicológico e social para o público feminino, segundo informa a referência técnica de políticas para mulheres da DIDH/Seit, Linei Pereira. “O Ônibus Lilás é um equipamento estatal que funciona como posto volante de prevenção, combate e enfrentamento à violência contra a mulher. Em parceria com a OAB/SE, ofereceremos atendimento jurídico gratuito, e também teremos psicólogas e assistentes sociais da Seit e do município de São Cristóvão à disposição, para prestar atendimento, dar informações, fazer esclarecimentos e encaminhamentos”, revela Linei.

Ainda segundo ela, os materiais que serão distribuídos visam informar o público não só sobre a Lei de Importunação Sexual, mas também sobre a Lei Maria da Penha, e sobre o funcionamento da rede de atendimento à mulher vítima de violência em Sergipe. Um dos materiais que serão distribuídos para o público feminino é o porta-bebidas com frases de impacto contra o assédio, produzido pelas internas do Presídio Feminino – Prefem, através do projeto de artesanato Odara.

“Estamos aqui para contribuir com a sociedade, através do processo de inclusão dessas mulheres. Ao total, 15 internas estão produzindo 500 porta-bebidas, que serão distribuídos durante o FASC. O processo de produção se divide em quatro etapas: preparo do tecido cru, serigrafia com pintura da arte, corte dos tecidos e costura da peça final. Os tecidos foram doados pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), as tintas e as telas para a serigrafia foram doadas pela Seit e a mão de obra é disponibilizada através da Sejuc, com o trabalho das internas do Prefem. Vale destacar que essas mulheres recebem uma remuneração mensal no Projeto Odara, que equivale a um terço do salário mínimo, aproximadamente R$ 700”, explicou a vice-diretora do Prefem, Edjane Marinho.

Para a interna A.S.G.M., de 53 anos, participar da produção dos porta-bebidas da campanha gera o sentimento de contribuição para o empoderamento feminino. “É muito bom fazer parte do Projeto Odara e poder produzir esses materiais para a sociedade. Apesar de estar aqui reclusa, a gente se sente um pouquinho lá fora com essas ações. Já participamos de campanhas e, certa vez, vi na televisão uma idosa usando uma touca que nós fizemos aqui no presídio para a campanha contra o câncer de mama. Quando vi fiquei muito emocionada. A gente fica feliz por dar apoio a todas que necessitam lá fora, fortalecendo o empoderamento da mulher”, destacou a interna.

por Agência Sergipe

Comentários comentar agora ❯