19 Junho 2021 - 09:12

Estabelecimento reabre totalmente reformado após atuação da Vigilância Sanitária

Vigilância Sanitária
Reforma deu novo aspecto ao estabelecimento após notificação.

Uma fiscalização de rotina no entorno do Mercado da Produção, no bairro da Levada, há cerca de dez dias, revelou aos fiscais da Vigilância Sanitária a situação crítica de uma pastelaria na região, onde as irregularidades estavam presentes do piso ao teto do estabelecimento.

Fezes de cachorro e de rato, manchas de gordura, panelas sem condições de uso, equipamentos sujos, caixa de gordura transbordando e alimentos que seriam usados para a produção dos pastéis fora da validade.

O resultado: interdição. O local foi fechado, autuado, multado e notificado a se adequar ao Código Sanitário sob risco de não poder mais funcionar.

A ação teve efeito imediato. Os proprietários iniciaram uma reforma total do estabelecimento e, nesta sexta-feira (18), solicitaram nova inspeção da Vigilância Sanitária, que encontrou um novo ambiente.

Piso revestido com cerâmica, paredes pintadas, novos equipamentos e limpeza impecável. “É muito importante e satisfatório quando a Vigilância Sanitária realiza o seu trabalho e faz com que o comerciante se adeque e tome todas as medidas necessárias para garantir a segurança sanitária da população”, comemorou o coordenador do órgão, Airton dos Santos.

Ele lembra que esse não é o primeiro estabelecimento a se adequar após interdição, mas a transformação da pastelaria chamou atenção da Vigilância.

Desde o início das fiscalizações da Vigilância Sanitária em lanchonetes, padarias, mercados e supermercados de Maceió, o coordenador ressalta que o objetivo do órgão não é punir, mas orientar os estabelecimentos a seguirem as regras sanitárias e oferecer o melhor serviço aos maceioenses.

As vistorias em estabelecimentos ocorrem diariamente e já encontraram diversas irregularidades, como carne estragada e fora da validade, pães com fezes de rato, laticínios vencidos, alimentos com validade adulterada, entre outras situações que colocam a saúde dos consumidores em risco.

A população pode colaborar para mudar esse cenário, por meio de denúncias, pelos telefones 3312-5495 e 3312-5496.

por Assessoria

Comentários comentar agora ❯