31 Maio 2021 - 03:00

Banco Central do Brasil é o segundo “mais verde” do G20

Divulgação
Ranking levantou, entre os países membros do grupo econômico

O Banco Central do Brasil é o segundo em iniciativas verdes monetárias e prudenciais entre os membros do G-20 – grupo das 20 maiores economias do mundo –, segundo o ranking dos "bancos centrais verdes", da organização sem fins lucrativos Positive Money UK. O Brasil ficou à frente de nações como França, Japão e Estados Unidos.

O levantamento leva em conta a liderança pelo exemplo, políticas monetária e financeira verdes e compreensão do tema.

Sustentabilidade
Como regulador do Sistema Financeiro Nacional (SFN), o Banco Central – alinhado à agenda mundial de sustentabilidade, em consonância com outros bancos centrais e melhores práticas – desenvolveu uma série de medidas e normas voltadas ao tema ao longo dos últimos anos, como a instituição da Política de Responsabilidade Socioambiental do Banco Central do Brasil (PRSA) em 2017.

Além disso, desde setembro de 2020, o Banco Central é uma instituição apoiadora da Task Force on Climate related Financial Disclosures (TCFD), cuja criação, em 2015, atendeu à solicitação do G20 para que fossem considerados os riscos à estabilidade financeira associados a mudanças climáticas no escopo do Financial Stability Board (FSB).

Para promover a divulgação voluntária de informações financeiras relacionadas ao clima – que sejam consistentes, comparáveis, confiáveis, claras e eficientes –, a TCFD emitiu em 2017 recomendações a serem utilizadas por empresas, financeiras e não financeiras.

A adesão voluntária em nível global às recomendações da TCFD pode prover aos investidores, credores e seguradoras informações úteis à avaliação e precificação apropriadas dos riscos e oportunidades associados à evolução do clima.

Positive Money UK
A Positive Money UK é uma organização sem fins lucrativos de pesquisa e campanha com sede em Londres, na Inglaterra. O grupo inclui professores de economia, autores, empresários e pessoas do setor financeiro.

Entre as ações da organização, em 2013, participaram do lançamento do Movimento Internacional pela Reforma Monetária - uma coalizão global de campanhas sem fins lucrativos para a criação de um sistema monetário e bancário que sirva a uma economia justa, democrática e sustentável 

por Banco Central

Comentários comentar agora ❯