04 Junho 2010 - 09:56

Vacinação contra H1N1 seguirá em Sergipe até finalização do estoque

A campanha de vacinação contra a gripe causada pelo vírus Influenza A (H1N1) imunizou mais de 73 milhões de pessoas em todo o país. A mobilização nacional foi oficialmente encerrada nesta quarta-feira, 2, mas as unidades básicas de saúde em Sergipe continuarão imunizando até o fim do estoque das vacinas.

Em Sergipe, já são mais de 703 mil pessoas imunizadas. A cobertura geral, para todos os grupos, gira em torno dos 75%. "A recomendação do Ministério da Saúde (MS) é vacinar, no mínimo, 80% das pessoas convocadas. Portanto, as pessoas ainda não imunizadas devem continuar procurando os postos", orientou Sândala Teles, gerente de Imunizações da Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde (MS), aqueles que ainda não alcançaram os 80% foram as gestantes (67%), portadores de doenças crônicas com menos de 60 anos (49%) e adultos de 30 a 39 anos (57%). Segundo dados do Programa Nacional de Imunização (PNI-DataSUS), até a tarde desta quarta, nenhum estado brasileiro havia atingido a meta em todos os grupos.

Há duas semanas, a campanha também foi ampliada para crianças de 2 anos a menores de 5 anos. Os responsáveis também devem continuar levando seus filhos para tomar a primeira dose da vacina. Para este grupo, a campanha é realizada em duas etapas. Vinte e um dias após a primeira aplicação de meia dose, as crianças devem retornar às unidades de saúde para receber a segunda meia dose.

Esclarecimento

O Ministério da Saúde emitiu uma nota técnica às Coordenações Estaduais e Municipais de DST/Aids do país informando sobre a possibilidade da vacina contra a gripe A (H1N1) gerar falso positivo para o teste do HIV. Isso acontece devido ao aumento da produção do anticorpo Imunoglobina M (IgM), que é detectado pelo teste imunoenzimático (Elisa). Normalmente, este é o primeiro dos dois testes necessários para liberação do resultado de exame de HIV.

De acordo com José Almir Santana, coordenador do Programa Estadual de DST/Aids, os profissionais de saúde responsáveis pelo diagnóstico sorológico do HIV-1 vão informar aos pacientes, que receberam a vacina contra o vírus H1N1, sobre a possibilidade de resultado "falso-positivo" nos testes que detectam o vírus da Aids.

A recomendação é que as pessoas vacinadas contra a nova gripe, em um período de até 30 dias, e que tenham feito o exame para detectar a presença do vírus HIV no organismo, devem refazê-lo. "Ninguém vai receber o resultado positivo sem que seja feita a confirmação", ressalta Almir Santana. Quem tiver dúvidas sobre o assunto, pode entrar em contato com a equipe do Programa Estadual de DST/Aids através dos telefones (79) 3226-8322 ou 3226-8302.
 

por Agência Sergipe

Comentários comentar agora ❯