05 Junho 2010 - 19:41

Literatura sergipana é difundida no Café do Museu

O Palácio-Museu Olímpio Campos (PMOC), que foi reaberto após minucioso trabalho de restauração dos seus aspectos originais, onde também foi inaugurado o ponto de venda da Editora Diário Oficial na cafeteria 'Café do Museu', após exatas duas semanas, é um local que já pode ser considerado o ponto de encontro da cultura sergipana em razão da demanda de visitação e a venda dos livros que já contabilizam 16 obras vendidas.

O conforto do local está atraindo o público que vai visitar o PMOC. É o caso da artista plástica Flora Oliveira, que aprecia a leitura e, segundo ela, ir ao Café do Museu é uma oportunidade na qual ela pode conhecer autores da terra. “É fundamental que exista um lugar que valorize o autor sergipano, e, aqui em Aracaju, este é um tipo de ambiente que eu sentia falta”, disse Flora Oliveira. A dona de casa Cristina Menezes também foi tomar um cafezinho e ainda aproveitou para apreciar uma boa leitura ao adquirir uma das obras disponíveis.

O proprietário da cafeteria, Luiz Eduardo Neto, que é fascinado por gastronomia, está entusiasmado com a junção da cafeteria com o ponto de venda de livros graças à parceria com a Editora Diário Oficial. Ele diz que vê com bons olhos esta oportunidade de estar mostrando para o público sergipano a literatura do estado, num local com uma ambiência mais aconchegante onde alia a culinária de bom gosto e a cultura. “A venda dos livros é um grande atrativo na cafeteria que tem seu grande movimento à tarde. É gratificante divulgarmos no Café do Museu os autores sergipanos que muitas vezes são esquecidos”, destacou Luiz Eduardo.
 

por Agência Sergipe

Comentários comentar agora ❯