01 Novembro 2021 - 02:00

Estado e parceiros definem rota turístico-religiosa de Santa Dulce dos Pobres

Governo de Sergipe
A ação envolve a Arquidiocese de Aracaju e as prefeituras de Aracaju e São Cristóvão

No intuito de homenagear Santa Dulce dos Pobres e colaborar com o turismo religioso em Sergipe, o governador de Sergipe Belivaldo Chagas se reuniu com equipe técnica do governo e com representantes da Igreja e dos municípios evolvidos no projeto para definir o roteiro de Peregrinação em homenagem à Santa.

A antiga estrada entre São Cristóvão e Aracaju, que passa pelos povoados Caípe Novo e Candeal, na Cidade Mãe, e chega à Zona de Expansão da capital, foi escolhida por unanimidade. “Nos próximos dias, um projeto do que será essa rodovia será apresentado a esse mesmo grupo de trabalho para que possam opinar, mostrando os pontos de paradas, onde vai ter calçadão, onde vai ter pavimentação, entre outros. O governo do Estado vai assumir toda a infraestrutura nessa área para que a gente possa ter, em definitivo, o caminho de peregrinação Santa Dulce dos Pobres. A ideia é que a gente tenha um caminho perene. Agora é tocar o projeto, licitar a obra e começar no menor espaço de tempo possível”, afirmou Belivaldo.

A ação envolve a Arquidiocese de Aracaju e as prefeituras de Aracaju e São Cristóvão. A intenção é que os devotos da primeira santa brasileira possam conhecer locais que têm a lembrança da religiosa. O roteiro está previsto para ser iniciado na Paróquia Irmã Dulce dos Pobres, no bairro Aruana, em Aracaju, e ter seu ponto de chegada no Convento do Carmo, em São Cristóvão, onde a religiosa morou por mais de um ano. O percurso vai utilizar um caminho vicinal de mais de 16 km.

O governador reforçou que a ideia é que o caminho possa ser feito durante todo o ano, valorizando a fé do povo sergipano e fomentando o turismo religioso no estado. A rota passa por regiões já povoadas e trafegáveis por veículos, possibilitando maior segurança e suporte aos peregrinos. O projeto é prioritário aos técnicos do ProjetarSE, e a previsão é de iniciar as obras, que devem incluir calçamento, construção de pontos de apoio, contemplação e outras intervenções estruturais, ainda no primeiro semestre de 2022.

Para o prefeito Edvaldo Nogueira, o projeto é muito importante para capital sergipana e todo o estado. “Será o caminho da religiosidade, o caminho da fé. É o turismo religioso, incorporando duas cidades, Aracaju e São Cristóvão, e que vai favorecer o desenvolvimento da região. Tenho certeza que será um grande marco na história das nossas cidades", destacou.

O prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana, evidenciou a grandeza da obra e elogiou o governador por sua postura quanto ao projeto. “É uma obra superimportante, que transcende a questão puramente religiosa, transcende a questão do caminho propriamente dito para, digamos assim, pessoas de fora, porque tem um componente que vai mudar para melhor a vida das pessoas que moram no trajeto. Temos povoados que, hoje, as estradas não são pavimentadas e serão, o que é muito importante. E quero agradecer ao governador Belivaldo Chagas, pois ele foi peça fundamental na escolha desse caminho”, pontuou.

O projeto conta com o apoio da equipe técnica de arquitetura, urbanismo e engenharia do ProjetarSE, uma iniciativa do Grupo Banese e do governo do Estado, executada pelo Instituto Banese. Segundo o superintendente do Instituto Banese, Ezio Déda, o governador pediu prioridade para o projeto do caminho. “A equipe fez a avaliação técnica das duas vias para o percurso religioso, que tende a ser um marco no turismo religioso do estado. A equipe do ProjetarSE já se adiantou e fez um estudo conceitual de como será a arquitetura dos pontos de apoio para registrar essa fé. Agora partiremos para todos os dados do levantamento topográfico do terreno, para fazer o projeto executivo. O caminho escolhido aqui, hoje, já tem ocupações urbanas durante o perímetro então deverá ser uma área mais contemplativa, mais bucólica, o que tem mais a ver com o projeto a ser implantado”, informou o superintendente.

A reunião, realizada no Palácio dos Despachos, contou com a participação do arcebispo metropolitano Dom João José Costa; prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira; prefeito de São Cristóvão, Marcos Santana; secretário de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto; do superintendente de Planejamento, Monitoramento e Captação de Recursos, Marcel Resende; a coordenadora-geral do ProjetarSE, Shirley Dantas; superintendente do Instituto Banese, Ezio Déda e da representante em Sergipe das obras de Santa Dulce, Ana Lúcia Aguiar; assim como da superintendente da Sedurbs, Débora Dias e os os padres Peixoto e José Lima.

Santa Dulce dos Pobres

Nascida na Bahia, foi no município sergipano de São Cristóvão que Maria Rita de Sousa Brito Lopes Pontes virou freira e recebeu o nome de Irmã Dulce, em homenagem a sua mãe. Outros aspectos ligam a Santa ao estado, como o fato de o primeiro milagre reconhecido pelo Vaticano ter sido no município de Itabaiana. Já em Aracaju, no bairro Aruana, fica localizada a primeira paróquia a levar o nome de Irmã Dulce.

por Governo de Sergipe

Comentários comentar agora ❯